Caro Visitante! Este blog é uma forma de expressar a minha paixão pela Arte, pela Natureza e também pela minha querida cidade natal que é Ribeirão Bonito. Espero que encontre aqui um espaço do seu agrado e, sobretudo que se sinta à vontade para apreciar, contemplar, refletir, observar, analisar, comentar, interagir, sugerir, enfim, participar. Seja bem-vindo!

sábado, 13 de agosto de 2011

O Mundo da Arte!

Ruas de Tóquio
abrigam galerias
de arte com obras
do mundo inteiro!

Uma rua no elegante bairro de Marunouchi é um grande museu ao ar livre. Conheça a história da estátua de Hachiko em frente a estação de Shibuya.

Roberto KovalickTóquio, Japão



Cansado de bater pernas? Em Tóquio, é bom não sentar na primeira cadeira que encontrar. Pode ser uma obra de arte, com o nome poético de "A cadeira que desaparece na chuva". Mas se alguém quiser conferir a hora, a escultura do surrealista Taro Okamoto nunca atrasa.
Para aliviar a imensidão de concreto, as ruas estão salpicadas de arte. Peças singelas como o casal Adão e Eva, com feições nitidamente orientais. Intrigantes, como a mala feita por um artista australiano. Será que o dono deixou para trás ou está pronto para partir?
Mesmo estátuas óbvias como a de Cupido se tornam inusitadas: ele está escondido numa esquina, à espreita de um coração solitário. Algumas foram engolidas pela imensidão da cidade: A moça de "A tarde de um feriado" foi coberta por um viaduto. Outra sumiu no estacionamento de bicicletas.
Uma rua, no elegante bairro de Marunouchi, é mesmo um museu ao ar livre. Há 40 anos, depois que o bairro foi tomado por edifícios de escritórios, as obras foram trazidas para tornar o ambiente mais agradável. A arte atraiu o comércio de luxo e restaurantes chiques. Hoje, Marunouchi é um dos lugares mais agradáveis para passar algumas horas em Tóquio. O curador explica que as obras vêm de dois museus e são substituídas duas vezes por ano. Elas valem muito, por isso a segurança na rua é reforçada, conta ele. Em 40 anos, nunca houve um caso de escultura roubada ou danificada.

Como toda a cidade, Tóquio também tem estátuas de líderes militares e políticos, heróis que ajudaram a construir este país. Mas elas são raras, difíceis de encontrar. É mais fácil achar a estátua de alguém que destruiu esta cidade. Não uma, mas dezenas de vezes. Apesar disso. Tóquio não deixou de fazer a sua homenagem a Godzilla. O monstro é um dos mais conhecidos personagens do cinema japonês em todo o mundo, por isso merece a homenagem.




HACHIKO
A estátua mais famosa do Japão também não é para um ser humano. O cachorro Hachiko é o monumento mais fotografado por japoneses e turistas. Dá nome a uma saída da estação de trem e ao ônibus que circula no bairro de Shibuya. Ganhou um painel de pedra. E três filmes, o último com Richard Gere no papel principal, contam a história de Hachiko. Todos os dias, quando o dono, um professor universitário, ia para o trabalho, o cachorro o acompanhava até a estação de trem de Shibuya. Na volta, o cachorro estava ali, esperando. Um dia o dono morreu subitamente. O cachorro esperou pelo professor na estação durante nove anos até morrer.
A história do cachorro tem final triste, mas a nossa não. Hoje, a estátua é o principal ponto de encontro de Tóquio. Para achar alguém numa cidade de 35 milhões de habitantes, é só fazer como estas meninas que esperavam uma amiga. Basta dizer "me encontra no Hachiko", e pronto lá vem a amiga. Mais um encontro abençoado pela amizade e fidelidade imortalizadas na estátua de um cachorro.





Fonte:
http://g1.globo.com/jornal-hoje/noticia/2011/08/ruas-de-toquio-abrigam-galerias-de-arte-com-obras-do-mundo-inteiro.html




.

Nenhum comentário:

Postar um comentário