Caro Visitante! Este blog é uma forma de expressar a minha paixão pela Arte, pela Natureza e também pela minha querida cidade natal que é Ribeirão Bonito. Espero que encontre aqui um espaço do seu agrado e, sobretudo que se sinta à vontade para apreciar, contemplar, refletir, observar, analisar, comentar, interagir, sugerir, enfim, participar. Seja bem-vindo!

terça-feira, 22 de outubro de 2013

NEQEAV!

Na Semana da Literatura, a Professora Renata Mesquita Magalhães conta uma linda história para os alunos da Rede Municipal de Educação de Ribeirão Bonito!



Uma história sobre o amor!

Meus avós estavam casados há mais de cinquenta anos, e continuavam usando um acróstico, que criaram durante o namoro, NEQEAV. O jogo era simples, minha avó colocava a palavra NEQEAV em algum lugar para o meu avô e quando ele a encontrasse fazia o mesmo para ela e assim sucessivamente. Eles escondiam o acróstico, dentro do açucareiro, na lata de biscoitos, na pasta de trabalho. Escreviam NEQEAV no espelho do banheiro, na janela embaçada pelo sereno, no vidro empoeirado do carro. Levei um tempo para entender essa brincadeira dos meus avós. Meu ceticismo nunca me deixou acreditar em um único e verdadeiro amor, que pudesse ser puro e duradouro. Embora, eu nunca tenha duvidado do amor entre eles. Via os dois juntos. O modo como viviam, diziam o quanto se amavam. O relacionamento deles era baseado em uma devoção e uma afeição apaixonada, que nem todo mundo tem a sorte de experimentar. O vovô e a vovó ficavam de mãos dadas sempre que podiam. Eles conseguiam terminar a frase incompleta do outro, e todo dia resolviam juntos, as palavras cruzadas do jornal. Minha avó cochichava para mim, dizendo o quanto meu avô era bonito, como ele havia se tornado um velho bonito e charmoso. Antes de cada refeição eles davam graças a Deus, por sermos uma família maravilhosa e pediam para que continuássemos unidos. Minha avó foi diagnosticada com câncer de mama. Na doença, vovô permaneceu com ela a cada momento. Ele a confortava no quarto amarelo deles, que ele havia pintado dessa cor para que ela ficasse sempre rodeada da luz do sol, mesmo quando ela não tinha forças para sair. Então, o que todos nós temíamos aconteceu: vovó partiu… NEQEAV foi gravada em amarelo, nas fitas cor-de-rosa das flores do funeral da vovó. Na despedida final, vovô ficou bem junto do caixão da vovó e, num suspiro, começou a cantar para ela uma canção de ninar, terminado com: 


NEQEAV!

NUNCA ESQUEÇA QUE EU AMO VOCÊ!


"Muitos são os que amam pouquíssimos 
são os que sabem amar."
Marcio Kühne


Veja+:Vereadora Renata visita escolas na Semana da Literatura
http://marcelrofeal.blogspot.com.br/2013/10/vereadora-renata-visita-escolas-na.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário